Polícia

Seguranças envolvidos em ‘caso Atakarejo’ são afastados das funções

Decisão se deu por sindicância interna

Seguranças envolvidos em ‘caso Atakarejo’ são afastados das funções
Foto: Divulgação

O supermercado Atakarejo do bairro de Nordeste de Amaralina afastou os seguranças envolvidos no caso de Bruno Barros da Silva e Yan Barros da Silva, tio e sobrinho que foram entregues por eles a traficantes e mortos após roubarem pedaços de carne na rede atacadista. O afastamento se deu através de sindicância interna. As informações são do jornal Correio.

Por meio de nota, o Atakarejo afirmou que tem colaborado com as investigações do caso desde o acontecimento. “Desde o início, a empresa vem colaborando com as autoridades policiais. O Atakarejo informa que foi aberta sindicância interna que decidiu pelo afastamento dos seguranças até que os fatos sejam devidamente esclarecidos pelas autoridades competentes”, alegou. 

O supermercado também prestou solidariedade às famílias das vítimas e declarou que “repudia o fato ocorrido”. “A empresa reafirma o compromisso com o seu código de ética e conduta e que jamais irá tolerar qualquer ato de violência”, concluiu.

O Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) coletou novas imagens do circuito de câmeras de vigilância de um supermercado do bairro da Amaralina na terça-feira (4) e, agora, analisa os vídeos. A Coordenação de Perícia em Audiovisuais do Departamento de Polícia Técnica (DHPP) realiza a perícia no material. Laudos cadavéricos e periciais no local do crime também foram realizados.

Toda a investigação está sendo acompanhada pela delegada-geral Heloísa Campos de Brito. “Cada desdobramento do DHPP sobre este caso é acompanhado por mim. Todos os envolvidos com este crime serão responsabilizados, sejam eles quem forem, no rigor da Lei”, afirmou. 


Comentários:

Ao enviar esse comentário você concorda com nossa Política de Privacidade.