Polícia

Secretário da SSP de Goiás diz que Lázaro era protegido por organização criminosa

Em coletiva, Rodney Miranda também explicou passos de Lázaro pouco antes de morrer

Secretário da SSP de Goiás diz que Lázaro era protegido por organização criminosa
Foto: Reprodução

O secretário de Segurança Pública de Goiás, Rodney Miranda, afirmou, nesta segunda-feira (28), que Lázaro Barbosa era acobertado por uma organização criminosa, que o ajudou durante os 20 dias em que fugiu da polícia. Durante coletiva, Miranda também contou que ainda existem pessoas que devem ser presas.

“Ainda temos algumas pessoas para investigar e prender. Agora, sai a força intensiva e fica o trabalho investigativo até a gente ir até o último envolvido”, disse Miranda. Uma das linhas é apurar se Lázaro era jagunço ou segurança de fazendeiros de Goiás.

Lázaro foi encontrado e morto hoje, durante uma troca de tiros, segundo a polícia. Com ele, foram encontrados mais de R$ 4 mil, além de uma arma. “Isso é mais uma prova de que tinha gente acobertando ele. O indicativo de dinheiro no bolso indica que, certamente, ele planejava fugir do estado ou até do país”, opinou o secretário.

“Tem gente que deu cobertura para ele. Essas pessoas que tentaram evitar que a justiça chegasse a um sujeito de alta periculosidade, certamente queriam acobertar outros crimes”, acrescentou.

O governador de Goiás, Ronaldo Caiado, também comentou o fato de Lázaro não agir só. “Primeiro foi falado que ele era um ‘lobo solitário’, mas chegou que estava recebendo apoio de outras pessoas – um deles está preso. Pela nossa inteligência (sabemos que) tem pessoas envolvidas que deram a ele todo suporte, orientação, telefone celular carregado”, disse.

O secretário disse ainda que Lázaro tinha ido até a casa da ex-esposa e da ex-sogra, em Águas Lindas, quando foi capturado. Imagens de câmeras de segurança registraram ele caminhando em uma rua próxima da casa, momento em que a polícia fechou cerco na região, no início da manhã. Ambas estão sendo ouvidas pela polícia.

“Ele foi para se encontrar com elas (ex-esposa e ex-sogra). Nós estávamos monitorado e tentamos pegá-lo ali. Ele chegou a ameaçar policiais e dizer que se fossem atrás dele na mata iria dar tiro na cara (…) Ele descarregou uma pistola contra os policiais. Com o esforço dessas forcas conjuntas, sem vaidade, impedimos ele que fugisse ou fizesse outras vítimas”, explicou.

Apesar de uma maior tranquilidade para a população, Miranda deixa claro que a investigação continua. “As investigações não acabam aqui, mas o principal que seria o empresário (Elmi Caetano), que é chefe e líder da organização, e o psicopata (Lázaro Barbosa), não são mais problemas. Os chacareiros e a população daqui vão reestabelecer sua normalidade”.


Comentários:

Ao enviar esse comentário você concorda com nossa Política de Privacidade.