Polícia

Salvador registra aumento de 27,5% de roubos à motoristas por aplicativo, aponta sindicato

Conheça as localidades com maior número de ocorrências

Salvador registra aumento de 27,5% de roubos à motoristas por aplicativo, aponta sindicato

O número de roubos à motoristas por aplicativo registrou uma elevação de 27,5% no primeiro quadrimestre deste ano, em Salvador. Segundo o Sindicato dos Motoristas por Aplicativos do Estado da Bahia (SIMACTTER), o aumento é comparado com o mesmo período de 2021.

Ao menos, 408 motoristas foram vítimas entre janeiro e abril de 2022 de ações de violência no momento de prestação de serviço, já no ano anterior, no mesmo período, foram contabilizadas 320 ocorrências contra os profissionais.

O presidente do SIMACTTER e vereador, Átila do Congo (Patriota) atribui às plataformas que disponibilizam os aplicativos de mobilidade, a culpa sobre as ocorrências de violência contra os trabalhadores.

“Sabemos que as forças policiais ‘enxugam gelo’, prendem e em uma audiência de custódia muitos são soltos. O que cabe, então, as empresas que se beneficiam e lucram em cima de vidas que são ceifadas de forma injusta, é estabelecer melhores critérios de segurança como o rigor no cadastro do passageiro. É uma roleta russa você buscar alguém desconhecido e, que, inclusive, pode ter um chamado vindo de um celular que pode estar no presídio, acaba sendo atraído para uma armadilha”.

Nesta semana, na última terça-feira (17), pelo menos, cinco profissionais foram abordados por criminosos e tiveram perdas materiais, entre eles, um motorista acabou sendo vítima de tentativa de latrocínio, na região do Subúrbio de Salvador. Já no sul da Bahia, na segunda (16) um outro trabalhador foi encontrado morto após aceitar uma corrida e desaparecer.

Atualmente, as localidades com maior número de ocorrências reportadas pelos profissionais da capital baiana são: Valéria, Águas Claras, São Caetano, Fazenda Grande do Retiro e Coutos.


Comentários:

Ao enviar esse comentário você concorda com nossa Política de Privacidade.