Polícia

Quase um mês depois de morte de radialista, Unesco cobra investigações

Quase um mês depois de morte de radialista, Unesco cobra investigações
Foto: Itiruçu Online

Quase um mês após o caso de Weverton Rabelo Fróes, conhecido como ‘Toninho Locutor’, de 32 anos, assassinado em frente à sua casa, na cidade de Planaltino, região sudoeste da Bahia, a Unesco, braço da Organização das Nações Unidas (ONU), cobrou à polícia brasileira investigações sobre o crime. 

Apresentador de um programa na rádio Antena 1, Weverton tinha personagens que faziam críticas à gestão da prefeitura da cidade em que morava. Investigações apontam que Toninho teria enviado áudios em um aplicativo de mensagens contando que estava sendo ameaçado e que a rádio poderia ser fechada. 

A diretora-geral da Unesco, Audrey Azoualay, classificou o crime como “condenável” e cobrou esclarecimento às autoridades brasileiras. “Nenhum país pode permitir a impunidade fortalecendo os que usam de violência e minam a liberdade de imprensa, o acesso à informação e o direito fundamental da liberdade de expressão”, afirmou. 

Segundo Viviane Rosa, delegada responsável pelas investigações, o crime está em processo de apuração e várias pessoas já foram ouvidas. Agora, a polícia está aguardando laudos periciais no celular do radialista para confirmar se, de fato, era dele a voz que relatava as ameaças e o fechamento da rádio.  

“É um crime de difícil elucidação, principalmente por ser em uma área de zona rural, lugar ermo, sem testemunhas, nenhum tipo de tecnologia no local e adjacências. A rádio era pirata e a programação era de músicas e anedotas, não havia política”, disse a delegada. 

Viviane ainda contou que Weverton teria apoiado o atual prefeito enquanto ele era candidato, porém, depois que o político foi eleito, fez diversas críticas à gestão. 

“Ouvimos várias pessoas, como uma que ele teve um problema na política. Estamos checando álibis e vamos tomar algumas medidas que dependem da Justiça. As investigações caminham”, disse a delegada. 

Ainda não há detalhes sobre a motivação do crime. De acordo com informações da Polícia Civil, um homem chegou ao local em uma motocicleta, disparou contra Weverton e fugiu em seguida. O radialista tinha um quadro de humor em uma rádio de Planaltino. 

Ainda na mesma nota em que cobra ações mais rápidas para a investigação do caso de Tonino Locutor, a Unesco citou um plano de ação da ONU sobre segurança de jornalistas e pautou a questão da impunidade.  

A organização Repórteres Sem Fronteiras (RSF), que condenou o homicídio, ainda comentou sobre o assassinato de José Bonfim Pitangueiras, produtor da TV Record morto a tiros no bairro de Engenho Velho da Federação, em Salvador, no dia 9 de abril. 

Testemunhas afirmam que os disparos foram efetuados por ocupantes de um carro branco, que fugiram logo após cometerem o crime. O caso é investigado pela Polícia Civil. 


Comentários:

Ao enviar esse comentário você concorda com nossa Política de Privacidade.