Polícia

Pai de criança morta em creche lamenta ocorrido: “Buraco no peito que nunca vai sarar”

Anna Bela Fernandes de Barros tinha apenas 1 ano e oito meses

Pai de criança morta em creche lamenta ocorrido: “Buraco no peito que nunca vai sarar”
Leonardo Felipe Fernandes de Barros/Arquivo pessoal/G1

O pai da menina Anna Bela Fernandes de Barros, de apenas 1 ano e oito meses, que foi uma das cinco vítimas do atentado a uma creche de Santa Catarina, desabafou sobre o ocorrido e afirmou estar desolado após a tragédia. Para explicar o que sente, o pai, Felipe Fernandes de Barros, só conseguiu dizer que “existe um buraco em nossos peitos que nunca vai sarar”. A entrevista foi concedida ao portal G1.

Anna Bela foi morta a golpes de facão por um jovem de 18 anos, que invadiu a escola infantil Pró-Infância Aquarela, em Saudades, interior de Santa Catarina. Além dela, outras duas crianças com menos de dois anos e duas funcionárias da escola também morreram.

O pai da menina disse que não conhecia o suspeito e relembrou como era a bebê. “Ela é um verdadeiro anjinho. Uma de suas primeiras palavrinhas foi justamente ‘carinho’, porque ela adorava fazer em todos. Sempre estava correndo e sorrindo. Sempre fazia amizades onde estava”, afirmou. 

O velório das cinco vítimas será coletivo, no Parque de Exposições Theobaldo Hermes, onde funciona o ginásio da cidade. Após o velório, os corpos serão sepultadas Cemitério Municipal da cidade. 

O ataque aconteceu na última terça (4). A primeira pessoa atacada foi a professora Keli Adriane Aniecevski, de 30 anos. Segundo a polícia, ela recebeu dois golpes na perna , quatro golpes nas costas e um no braço. Mesmo ferida, ela correu para a sala onde estavam as quatro crianças e a agente educacional Mirla Renner, de 20 anos, que também morreu. Somente um dos bebês sobreviveu. Ele está internado em Unidade de Terapia Intensiva (UTI). 


Comentários:

Ao enviar esse comentário você concorda com nossa Política de Privacidade.