Exclusivas

Ascensão do Comando Vermelho na Bahia contradiz falas da Segurança Pública

Dados coletados pelo Bahia 190 demonstram piora na criminalidade e enfraquecimento da SSP

Ascensão do Comando Vermelho na Bahia contradiz falas da Segurança Pública
Foto: Divulgação/Agência Brasil

Após a troca de comando na Secretária de Segurança Pública (SSP) e no Comando Geral da Polícia Militar, o número da violência no estado da Bahia vem crescendo e vem refletindo na morte de policiais e na crescente força das facções criminosas, especialmente o Comando Vermelho (CV) que chegou à Bahia em setembro de 2020.  

De acordo com dados da Polícia Militar (PM), obtidos pelo Bahia 190, somente de janeiro a abril de 2021, morreram seis policiais militares, sendo que um estava de serviço, três estavam de folga e outros dois estavam na reserva. Esta quantidade equivale, em apenas quatro meses, à metade do número de mortos em 2020, que registrou 13 homicídios contra PMs, sem contar o assassinato de um policial militar da reserva no município de Tucano, que aconteceu no último sábado (8).

O B190 entrou em contato com a Polícia Civil para obter informações sobre número de investigadores mortos, mas até a publicação desta matéria, nenhuma resposta foi dada.  

Em dados divulgados pela SSP, entre janeiro e março de 2020, Salvador e RMS, registraram juntas 506 homicídios. Já em 2021, no mesmo período, a SSP registrou 494 homicídios. Este aumento pode estar diretamente ligado à chegada do CV na capital baiana, que logo de início mostrou bater de frente com a polícia ao pichar suas siglas a menos de 500 metros da 40ª Companhia Independente da Polícia Militar (CIPM) do Nordeste de Amaralina, em frente à Base Comunitária do bairro.  

Quando o CV chegou a Salvador, a SSP chegou a falar que qualquer organização criminosa que almeje se instalar na Bahia seria combatida com ações de inteligência e de repressão. Além disso, mesmo com esse alto índice de homicídios e crime contra policiais, o Comandante Geral da PM, Paulo Coutinho, deu uma entrevista recentemente ao Varela Net, onde foi contra os números da SSP e afirmou que em 2020 e 2021 “os números são extremamente positivos”.  

Foto: Reprodução/Instagram/coronelpmcoutinho

“Eu lhe demonstro isso com números. Temos aqui em 2020 e 2021 números extremamente positivos. Redução de óbitos, roubo de veículos, redução de crimes violentos letais intencionais. Qualquer sistema de segurança pública vive isso [aumento da violência]. Mas temos enfrentado e vamos vencer. Como estamos vencendo”, garantiu.  

Apesar das fortes convicções e das falas positivas da alta cúpula da segurança pública, a realidade é diferente. O tráfico continua mostrando ter um poder sobre a população, que preza pelo “Tribunal do Crime” ao invés do “Tribunal de Justiça”, como ocorreu no ‘caso Atakarejo’, em que seguranças entregaram dois homens suspeitos de roubar carnes a integrantes do CV e não à polícia. Os dois jovens acabaram sendo mortos pelos traficantes e deixados no porta-malas de um carro no bairro de Brotas. Após 14 dias, nenhum suspeito de praticar o crime foi preso pela polícia.  

Na última semana, o Ministério da Justiça autorizou o desbloqueio do Fundo Nacional da Segurança Pública, que enviou a cinco estado brasileiros, um deles a Bahia, o valor de R$ 30,1 milhões para melhorar a segurança pública. O Bahia 190 entrou em contato com a SSP para saber de que forma essa quantia seria distribuída.

Em nota, o órgão informou que o valor será aplicado na aquisição de viaturas, armamentos, equipamentos de tecnologia da informação, softwares para perícias e capacitações para as polícias Militar, Civil e Técnica, além do Corpo de Bombeiros. Mais de R$ 24 milhões foram direcionados para o eixo “enfrentamento à criminalidade violenta” e pouco mais de R$ 6 milhões foram investidos no eixo “valorização profissional”.


Comentários:

Ao enviar esse comentário você concorda com nossa Política de Privacidade.